segunda-feira, 21 de abril de 2014

A Doutrina Bíblica da Separação Parte II – Uma ordenação Bíblica para manter pura a igreja em mundo corrompido



A Doutrina Bíblica da Separação Parte II – Uma ordenação Bíblica para manter pura a igreja em mundo corrompido





Por: Rev. Luciano Gomes



"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso." 2 Coríntios 6:14-18 Almeida Corrigida Fiel-SBTB)



Introdução:

A animação da Dreamworks conta uma aventura pré-histórica sobre a família Croods, uma das primeiras do mundo, que vivia confinada numa caverna, incapazes de sair dali por causa dos temores de seu patriarca. Um dia, quando a caverna é destruída, a família descobre que existe um mundo gigantesco além da caverna, e partem numa viagem fantástica, cheia de criaturas incríveis. Porém, logo descobrem que precisam sobreviver às intempéries de um mundo recém-descoberto e que está mudando drasticamente.

Marilena Chaui em seu livro o Convite à Filosofia conta um mito do filósofo Grego do IV Século antes de Cristo, Platão. Conhecido como "O Mito da Caverna". Este texto serviu de base para toda a filosofia deste desenho da Dreamworks. Em que esta ilustração se aplica ao texto em nosso contexto hoje? Qual a relação com o enredo do desenho "Os Croods" tem haver com a igreja de Cristo?



Exposição ao tema:

A igreja está inserida em um mundo cada vez mais globalizado, dentro desta globalização há alguns fatores positivos como a interação cultural, aquilo que os sociólogos dentro do processo social chamam de contato social, cooperação, adaptação, acomodação e assimilação. A grande questão é como a sociologia define o isolamento habitual que diz respeito à separação ocasionada pela diferença de hábitos, costumes, usos e religião. A crítica da Sociologia está em considerar a liberdade religiosa com um etnocentrismo, ou seja; a tendência das religiões em se



isolarem; a postura destes grupos é a de supervalorizar as características de "nosso grupo" e de menosprezar todos os demais grupos "alheios". A Socióloga Eva Lakatos define esta postura como fanatismo religioso e afirma que o diálogo entre os grupos religiosos e a tolerância é o melhor caminho para um contato social mas adequado a nossa época.

Então, fora desta "Caverna" precisamos nos adaptar, acomodar e assimilar todos os valores deste mundo. É exatamente neste ponto que Cristo mostra a antítese: "E prosseguiu: Vós sois cá de baixo, eu sou lá de cima; vós sois deste mundo, eu deste mundo não sou."(Jo8:23 )Mas, o que dizem as Escrituras? Então o que fazer? Sair das "Cavernas" (antigo, tradicional, conservador) e aceitar abertamente todas as coisas novas que este mundo oferece as novas possibilidades, releituras do mundo (novo, descobertas, quebra de regras, subversão das convenções, liquidez, fluidez conforme define o Sociólogo Polonês Zigmund Bauman). A igreja deve associar-se ao mundo? É possível ter comunhão com incrédulos? A possibilidade de harmonia entre o crente e o incrédulo? É possível adaptar, acomodar e assimilar todas estas coisas?



II - Separação não é isolamento nem assumir uma postura antissocial!

Pratique a separação. Isso não significa que devamos evitar totalmente as pessoas incrédulas e agir como se estivessem infectadas por uma doença grave. Não, significa que devemos estar separados, não isolados. Estamos no mundo mas não somos do mundo. Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo nos deu o exemplo perfeito. Ele esteve com os "pecadores" [o antigo eufemismo para perdidos], fez refeições e associou-se com eles para lhes dar testemunho, mas certamente não participou de suas obras más e manteve-se separado e puro. Podemos e devemos fazer a mesma coisa em nossas vidas cotidianas. Citando orador romano Cícero: Muitas vezes se apresentam graves circunstâncias, em que é preciso se separar dos amigos. (Sobre a amizade, Cícero, Cap.XX. 2006. Ed.Nova Alexandria)



III - Separação Primária (com os incrédulos)

A revista Galileu de Fevereiro trás uma matéria com um sociólogo Italiano Domineco de Masi sobre "A vez do Brasil". O entrevistador

pergunta: O que podemos ensinar ao mundo? E ele responde: "O Brasil pode ensinar que a harmonia do corpo, a sensualidade, criatividade e fé que estão relacionados com o conceito de tolerância são atitudes comuns no Brasil, bem como considerar fluidas as fronteiras entre o sagrado e profano".

O entrevistador pergunta: O que une o Brasil? Ele responde: "A sociedade é unificada pela língua geral, o sincretismo cultural de grandes festas civis e religiosas incorporadas à vida das pessoas, a música, o papel das mulheres, a sensualidade sem culpa. Não existe pecado ao sul do Equador" canta Chico Buarque. O Brasil é aberto ao novo e a mudança do respeito pela democracia e do elogio a diferença."



III-A separação Secundária (dos irmãos desordenados e hereges)

A imagem produzida pela expressão "jugo desigual".

Iniciemos pela definição de "comunhão": "E que comunhão tem a luz com as trevas?" Em Latim, COMMUNIS, que gerou "comum" em Português. "Comungar" vem do Latim (versículo 14) COMMUNICARE, "repartir, espalhar, ter em comum. Seu uso no texto bíblico: Do léxico grego koinonia (κοινωνία), "associação, comunhão, fraternidade, relacionamento íntimo, comunhão",

Em segundo lugar, Paulo diz: "Por isso saí do meio deles, e apartai-vos(ACF),separai-vos (AR) diz o Senhor[...](versículo 17) O vocábulo grego traduzido "separai-vos" αφορισθητε = separar, tirar de lado e excluir. Refere-se ao estabelecimento de um limite. (Nossa palavra "horizonte" origina-se desse termo grego.) Paulo ensina que temos de nos manter separados no mesmo sentido de um limite que é colocado e jamais pode ser ultrapassado. Os falsos ensinadores e seus erros precisam estar fora dos limites para nós ou além do horizonte. Em outras palavras bem longe de nós.

A mesma recomendação Paulo ordena aos romanos a se separar do erro, Romanos 16.17. Nesta passagem, Paulo exorta as igrejas a notarem "aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a doutrina que aprendestes; afastai-vos deles". Este versículo refere-se a todos os falsos ensinadores, que levam as pessoas a não encontrarem a Verdade.

Finalmente, 2 João 6-11, onde o Espírito Santo utiliza João, o apóstolo do amor, para outorgar-nos uma das mais claras ordenanças a respeito da separação, em toda a Bíblia. Esta passagem nos instrui a não termos comunhão, de maneira alguma, com os falsos ensinadores. Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem lhe deis as boas-vindas" (2 João 7-10).

Um herético e após duas ou três admoestações deve ser rejeitado Tito 3:10 Vejamos o verso inteiro: "Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o."



2 Tessalonicenses 3:6, 11 e 14-15 não poderiam ser mais claros:

"Mandamos-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão, que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu." verso 11 "Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs." versos 14-15 "Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão."



Contexto Bíblico:

Essas palavras contundentes do apóstolo Paulo foram necessárias porque alguns crentes em Tessalônica estavam com a falsa ideia que o arrebatamento ocorreria em um futuro próximo. Muitos deles venderam suas propriedades, abandonaram seus empregos e ficavam ociosos, esperando o retorno do Senhor. Enquanto aguardavam, alguns recusavam-se a trabalhar pela comida que recebiam, enquanto outros ficavam se metendo na vida alheia. Assim, Paulo lhes deu essas instruções sobre o que precisavam fazer para corrigir tal comportamento na comunidade cristã primitiva.

Aplicação:

Mas qual é a forma que a igreja contemporânea (nos nossos dias) trata a desordem, a disseminação de heresia e o insubordinado?

Observe que Paulo usa o advérbio "desordenadamente" do grego ατακτως ataktos e significa: desordenadamente, fora de postos (geralmente com respeito a soldados), de desejos exagerados, que se desvia de ordem ou regra prescrita. Por fim, derivado de uma expressão militar que significa "marchar em outro ritmo", fora de sintonia com os demais. Aquelas pessoas estavam caminhando fora da linha, com um ritmo errado, e recusando-se a ouvir e a raciocinar, de modo que algo teve de ser feito para chamar a atenção deles. A cura era uma boa dose de separação! Paulo disse para afastar-se deles mas sem cortar a comunhão. O resultado pretendido seria envergonhá-los e despertar neles o desejo de se acertarem com todos na igreja.



Aplicação:

Não sei qual seria a reação de vocês, mas se outros crentes viessem até mim e me dissessem que estou fora da linha e, por causa da minha obstinação, será necessário para eles afastarem-se da comunhão comigo eu ficaria muito triste. Minha velha natureza pecaminosa não gostaria nem um pouco e sem dúvida tentaria da melhor forma racionalizar meu comportamento e fazer desculpas, mas em algum momento eu seria forçado a admitir minha falha e a pedir o perdão dos irmãos. Como disse o poeta escocês Robert Burns em um de seus poemas, "Ah, se tivéssemos o poder de nos ver como os outros nos vêem!"

Se pudéssemos, não gostaríamos tanto de nós mesmos. Mas infelizmente o pecado do orgulho não nos permite admitir nossos erros, falta muita humildade no povo que se diz cristão, os interesses pessoais, as ambições pessoais, a vaidade e os supostos "valores morais" destes indivíduos desordenados, os impedem de ir além e continuarem em comunhão com os irmãos de sua igreja, respeitar e acatar as autoridades constituídas por Deus, então o óbvio e inevitável resultado de sua obstinada decisão é conforme descreve Richard Baxter em seu livro Firmes na Fé Conselho para Crentes Fracos:





"Oh, despresíveis, inúteis e escandalosos professos da religião!... Vocês acham que crentes débeis, levianos e escandalosos como vocês podem fazer algum bem maior por meio de suas vidas? Vocês acham que o coração das pessoas será levado a um amor pela santidade ao verem crentes tão cobiçosos como vocês, até mais do que os mundanos, ou ao ouvi-los reclamar, mentir ou difamar as pessoas? Oh, Cristãos, em nome de Deus, assim como vocês se oporiam a estas



atitudes diabólicas caso estivessem conscientes delas, oponham-se a este estado de fraqueza e instabilidade e não se deem por satisfeitos com o estado infantil, fraco e instável de vocês. Eu afirmo com vergonha e dor no coração que o excesso de fraqueza e instabilidade de vocês crentes professos, tem sido os instrumentos mais poderosos de Satanás para consecução dos seus desígnios, para obstáculo do evangelho, para divisão da igreja e para reformas espirituais! O seu mal testemunho é pior que a conduta da maioria dos notórios profanos! Que diversão é para o Diabo é fazê-los lançarem uns contra os outros! Quando ele se propõe a causar grandes estragos na igreja e na obra de Cristo, ele pode simplesmente convocar crentes instáveis (inconstantes, desordenados) para fazê-lo! Alguns por exemplo provocam escândalos, enquanto outros o agravam e divulgam. Quando ele quer ver uma igreja dividida, quão rapidamente encontra uma razão de discórdia! E quem fará isso, senão os membros instáveis da própria igreja? Se vocês tem algum amor por Deus e de algum modo sentem por Sua desonha, me parece que estas coisas deveriam tocar o seu coração!"



Textos que reforçam a ideia de separação do mal:
Julgamento de questões difíceis



8 Quando alguma coisa te for difícil demais em juízo, entre caso e caso de homicídio, e de demanda e demanda, e de violência e violência, e outras questões de litígio, então, te levantarás e subirás ao lugar que o SENHOR, teu Deus, escolher. 9 Virás aos levitas sacerdotes e ao juiz que houver naqueles dias; inquirirás, e te anunciarão a sentença do juízo. 10 E farás segundo o mandado da palavra que te anunciarem do lugar que o SENHOR escolher; e terás cuidado de fazer consoante tudo o que te ensinarem. 11 Segundo o mandado da lei que te ensinarem e de acordo com o juízo que te disserem, farás; da sentença que te anunciarem não te desviarás, nem para a direita nem para a esquerda. 12 O homem, pois, que se houver soberbamente, não dando ouvidos ao sacerdote, que está ali para servir ao SENHOR, teu Deus, nem ao juiz, esse morrerá; e eliminarás o mal de Israel, 13 para que todo o povo o ouça, tema e jamais se ensoberbeça" (Dt 17: 8-13)





A impureza da igreja de Corinto

1 Geralmente, se ouve que há entre vós imoralidade e imoralidade tal, como nem mesmo entre os gentios, isto é, haver quem se atreva a



possuir a mulher de seu próprio pai. 2 E, contudo, andais vós ensoberbecidos e não chegastes a lamentar, para que fosse tirado do vosso meio quem tamanho ultraje praticou? 3 Eu, na verdade, ainda que ausente em pessoa, mas presente em espírito, já sentenciei, como se estivesse presente, que o autor de tal infâmia seja, 4 em nome do Senhor Jesus, reunidos vós e o meu espírito, com o poder de Jesus, nosso Senhor, 5 entregue a Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no Dia do Senhor Jesus. 6 Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda? 7 Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado. 8 Por isso, celebremos a festa não com o velho fermento, nem com o fermento da maldade e da malícia, e sim com os asmos da sinceridade e da verdade. 9 Já em carta vos escrevi que não vos associásseis com os impuros; 10 refiro-me, com isto, não propriamente aos impuros deste mundo (Separação primária, os ímpios), ou aos avarentos, ou roubadores, ou idólatras; pois, neste caso, teríeis de sair do mundo. 11 Mas, agora, vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão (Separação Secundária, desordenados), for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal, nem ainda comais. 12 Pois com que direito haveria eu de julgar os de fora? Não julgais vós os de dentro? 13 Os de fora, porém, Deus os julgará. Expulsai, pois, de entre vós o malfeitor. (1Co 5: 1-13)

Aplicação: Por isso algumas vezes, algumas medidas drásticas são necessárias. É preciso uma incisão cirúrgica para cortar certos indivíduos que aparentemente produzem benefícios na igreja, mas quem será o cirurgião que coloca sua cabeça em jogo ao arrancar um mal de dentro da igreja? Quem tem coragem de assumir as consequências dos possíveis sequelas produzidas por esta intervenção cirúrgica? (Exemplo Análogo do médico).



Conclusão:

O grande pregador puritano Batista Charles Spurgeon em seu sermão por título: "Nenhum comprometimento" disse sobre a separação:





"Para que não ridicularizasse meu testemunho, apartei-me daqueles que se desviaram da fé e mesmo daqueles que se associam com estes"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido irmão deixe seu recado!

Sola Escriptura

Sola Escriptura
Ser um Cristão reformado é está interessado em se reformar sempre.É prezar pelos princípios da reforma, e estar disposto a adaptar toda a vida e teologia ao exame final das Escritutras.